nove(nta)

Eu li um texto no início deste mês que falava alguma coisa sobre lojas de R$ 1,99. Imediatamente aquele texto, eu não sei como e nem o porquê, me levou a uma memória muito doce, que eu não sabia que eu tinha. Na minha mente, veio a minha imagem atravessando a rua de mãos dadas com a minha avó paterna (única pessoa com quem pareço fisicamente e tenho certos hábitos iguais), e ela me levava numa loja de R$ 1.99 que ficava em frente à ótica da minha família. Nós fizemos isso algumas consideráveis vezes quando eu chegava da viagem para visitá-los. O que eu fiz? Eu abri a boca pra chorar. Eu não lembrava daquilo e foi tão forte na hora, que nem eu entendi. E eu estranhei mesmo, achei que, bem, eu devo estar na TPM? A vó faleceu faz tempo, não tem o porquê ser desse jeito. Olhei a data: nove de abril, ela faria aniversário naquela semana, três dias depois. Imediatamente eu entendi.

Passado e esquecido isso, esta semana foi muito corrida para mim, e eu não vi meus pais e não falei com eles. Nessa madrugada, de sexta para sábado, fui dormir me sentindo melancólica, triste. E se eu tivesse perdido eles? Pensei. E se tivesse acontecido alguma coisa? Eu não falei com eles. Será que aconteceu alguma coisa? Olhei o relógio, era 2:10 da manhã, eu não ia ligar. E assim, eu não sei porquê, eu chorei essa madrugada. Eu tinha um almoço com amigos e resolvi ligar para o meu pai esta manhã antes de ir. Ainda sentia um peso, uma sensação ruim, o mesmo daquela noite. E a gente se conhece. A gente não pode deixar essas coisas passarem. Algo aconteceu. Ele atendeu, estava tudo bem com ele, ele disse que ia ao centro da cidade, eu alertei que havia lido sobre um assalto a banco nesta manhã por ali, pra ele tomar cuidado. Me avisou que minha mãe havia entrado no banho, e que então eu não conseguiria falar com ela, mas que estava bem. Bem, bem, então, não é nada, oras, te acalma Lya. Desliguei. Entrei no grupo do whatsapp da família para apagar algumas das 500 imagens enviadas de Bom Dias, e Dilmas, e Impeachments (faço isso quase todo dia). Ali, havia um recado da minha tia, lembrando-nos que hoje, dez anos atrás, foi o dia em que minha vó faleceu e quem pudesse, orasse por ela. Eu não lembrava, eu não guardo datas de morte. Imediatamente eu entendi.
Fui segurando o choro de casa até o almoço com os amigos.

Eles se vão, a gente fica. Tem que haver algum laço. Tem que haver alguma memória emocional que ultrapasse anos, a vida, a morte.
Acho que meu coração é pequeno, ele transborda tão fácil.
Abril, o mês que ela nasceu e se foi, vai embora.
Que maio me seja mais leve.

Deixe seu comentário

14 comentários

  1. Igor Medeiroz

    Interno, profundo, lindo e, além de tudo, saudoso.

    1. Lya respondeu Igor Medeiroz

      bastante saudoso <3

  2. Jheni

    É assim mesmo, às vezes as lembranças de pessoas que passaram por nossas vidas e já não estão mais conosco aperta forte no peito e a saudade escorre pelo rosto em forma de lágrimas. Mas as memórias, os bons momentos que passamos ao lado dessas pessoas sempre vão estar vivas em nós, por mais que a falta nunca cesse. Perdi minha tia há alguns anos, aquela doença tão triste a arrancou de mim e até hoje, me lembro dela quando ouço músicas que cantávamos juntas ou quando alguém me lembra dos conselhos que ela me dava ou dos elogios que me tecia… Dói, dói muito e nunca vai parar de doer, mas a gente vai levando, vivendo e deixando que elas vivam em lembranças. Espero que fique bem, Lya. Saiba que orei por sua vó aqui, ela devia ser uma mulher maravilhosa.

    Carinhosamente, Jheni. Quinze Outonos

    1. Lya respondeu Jheni

      oi jheni, muito obrigada pelas palavras de carinho e pela oração. sinto muito pela tua tia. hoje já me sinto muito melhor, tanto eu quanto tu e todos que perdem alguém que amou teremos dias assim.
      Fique bem <333

  3. mariana bittencourt

    que lindo, lya <3

    1. Lya respondeu mariana bittencourt

      ai, precisava botar pra fora, haha <3

  4. Rayana

    Eita,Lya. O coração tem dessas coisas, né. A saudade boa que machuca. Eu não sei explicar, mas senti uma emoção/alegria tão grande lendo isso – me lembrei da minha vó, que também não ta mais aqui. Valeu por trazer esse sentimento de volta.

    1. Lya respondeu Rayana

      que bom que te trouxe a tua avó <33

  5. Mariana

    Lya, que lindo. Já vim aqui duas vezes pra comentar, mas não deu, culpa do nó na garganta. Perdi minha avó há dois meses, sei como é, mas dê graças por esses pequenos momentos. Provam que o laço é mais forte do que a gente é capaz, muitas vezes, de compreender. Fica bem!
    Beijo

    1. Lya respondeu Mariana

      oi mariana! sinto muito pela sua perda. e dói mesmo e por um bom tempo. não possuo mais nenhum avo/avó vivo faz quase dez anos e ver esta parte da vida não existir mais é muito difícil.
      Fique bem também. Por aqui passou, são as recaídas que a vida dá (:

  6. Lua

    Que maio seja mais leve :)

    1. Lya respondeu Lua

      foi, foi (:

  7. Michelle

    Ultimamente tenho me sentido assim. Por esses dias, um mês daqui a 7 dias, completou 2 anos que meu vô se foi. Um pouquinho mais de um mês atrás completaram dois que meu tio paterno também se foi. Nostalgia, angustia, tristeza.. saudade. Seu texto está lindo, Lya. E, se não sentissemos nada, de que adiantaria viver? Emoções, ações, ilusões, desilusões, momentos, sentimentos. O coração tem de tudo um pouco e talvez isso seja a verdadeira essencia da vida: sentir, amar, chorar, ver e viver.

    Um beijo.

    1. Lya respondeu Michelle

      verdade, faz parte <3
      e se dá saudade, é porque foi bom e fez bem