amenidades

Estou digitando, mas usando nove dedos, porque faz uma hora que enfiei um facão no meio de um deles enquanto cortava um abacaxi. O dedo não caiu, então está tudo bem.

Semana passada peguei uma virose (pelo menos é o que o médico plantonista diria), coloquei todo o meu corpo para fora durante 24 horas. Mas estou viva (como é bom sentir fome), então está tudo bem.

Depois da virose, cozinhei feijão novamente. Estou ninja em fazer feijão e isso me deixa extremamente feliz, porque é uma das coisas que mais gosto de comer. Só perde para o tubérculo da vida, a rainha dentre todos os alimentos, a batata. Ele foi almoço dois dias seguidos e com um arroz molhadinho então, o sorriso estampa meu rosto e meu estômago pesa mais do que eu.

Esta semana será corrida novamente porque farei mais uma vez um freela alocado. Mas desta vez só uma semana, então a zona não será tão grande (assim espero). Acho que será um próspero mês de março, já que o mês de fevereiro foi preguiçoso. Obrigada carnaval, mas não.

E por favor, palmas para o biquíni que chegou esta semana, da linda Chapéu.

home & office

Nesta sexta, retornei para a minha rotina sem rotina. Vou sentir falta dos quitutes da padaria todos os dias. O armário de casa estava vazio, providenciei um belo abastecimento de porcarias para fazer companhia nas tardes (e nas noites).

O carnaval foi agitadíssimo, como podem ver na imagem que segue.

Assim que eu gosto.

Com os olhinhos sempre voltados para casa, comprei uma mesinha tulipa de apoio pro lado da cama. Já não aguentava mais colocar o telefone para despertar no chão. A bandeja da Marimekko e a vela da Diptyque (loja mais linda que entrei na vida) comprei na viagem de 2013 e estavam guardados até hoje. Nunca achei que a função seria esta, mas me serviu muito bem. Ali fica o celular para me acordar, algum dos três óculos de grau espalhados pela casa, o brinco é diariamente jogado ali. O vasinho eu já havia comprado no Etsy há vários anos e o porta anéis é da Urban Outfitters, que eu também já tinha.

Na sacada também temos uma nova moradora, que te abraaaça e será um cantinho gostoso para ler.

Mudando de assunto – mas nem tanto – vez ou outra o Deus do e-commerce me acompanha. Passei meses namorando as bolsas, e só namorando mesmo, porque o valor era impraticável. Aí veio a promoção de alto verão e comprei as duas pelo preço de uma e estou aqui feliz mostrando minha vitória (:

eco


De cabelo curto que me curto.

Dormil e quinze começou meio frenético e sim, esta é a desculpa do primeiro desaparecimento do ano.

Estou fazendo um freela alocado por um mês (faltam mais 5 dias) e não foi/é fácil adaptar-se novamente à rotina de horários para chegar, para sair, para comer, projetos realizados em tempo recorde, etc. Além de ter que reajustar a rotina da casa, e nestes momentos, obviamente, lembro da minha mãe e de metade da população deste planeta, que trabalha fora o dia todo, tem as obrigações da casa e ainda tem filho para criar. No meu caso, meus filhos se resumem a 6 plantas e duas moscas. Situação idêntica.

Mas em Fevereiro a paz há de reinar e as coisas voltarão ao normal por aqui.

Segue, portanto, a retrospectiva do desaparecimento:

Divei muito pela primeira vez na piscina, em um dia de muito sol, como se pode notar. Também lembro de sair correndo pateticamente pouco tempo depois, porque a chuva chegou e eu havia deixado todas as janelas de casa abertas.

Também neste meio tempo, meu querido viajou por duas semanas a trabalho, o que quer dizer que conversei muito em inglês com as paredes de casa e passei os finais de semana com Madame Z e Marcus Gyver na praia, e estes sim, estavam de merecidas férias.

Do vizinho da casa de praia, pedindo, roubei as flores para o apartamento.

E dessa coisa de ter que escolher roupa pra sair pra trabalhar, imagens sem sentido enquanto se espera o ônibus.

I’ll be back.

vinde a mim as plantinhas

Sempre quis ter plantas em casa, e mesmo antes de oficialmente me mudar, já havia comprado os vasos. Estes, ficaram por quatro meses guardados no armário, até o súbito dia em que Frank perdeu e paciência e pelamordedeus, vamos comprar as plantas. E assim fizemos. Eu já tinha ideia do que queria, levei os vasos comigo e foi mais tranquilo de escolher.

Tivemos que replantar todas elas, e mesmo os dois sem nenhuma experiência no assunto, deu certo. Foi com muito cuidado e muito lambança.

Compramos dois cactus para o terrário, que foi o mais complicado, ajeitar os dois pequenos lá dentro (ai, meu deeedo), mas ficou do jeito que eu queria (faltam as pedrinhas). Os vasos foram comprados no Etsy (Rússia, EUA e Israel respectivamente – o que faz meu pai rir, afinal, porque raios uma pessoa compra cada vaso de um canto? Mas se tratando de Lya, tá em casa).  Não poderia faltar uma suculenta e caso a rainha das suculentas, Tati, tenha alguma dica extra para me dar (além de: não dê água, haha), estou aceitando. Me apaixonei pelo bambu, meu deus, me dá, trouxe. Queria também uma Costela de Adão, mas não tinha para vender (é coisa gringa demais? Encontrarei em Florianópolis ou também vou ter que mandar trazer, sei lá, da Bulgária?).

O vaso maior eu reservei para uma folhagem. Inicialmente era para uma Espada de São Jorge, mas não estavam bonitas e quando vimos esta, foi amor maior (planta esta que, infelizmente, eu não faço ideia do nome, parabéns, porque joguei a descrição que vinha junto fora). O vaso é da Tok&Stok.

O próximo passo é emoldurar os quadros, que também estou enrolando por meses. Aguardando o novo ataque do Frank pra me levar pelos cabelos.

Enquanto isso, teve:

Jantar de Natal (aí sim, dia 24/12), agora só com meus pais amados.

Tentativa de bronzeamento enquanto assistia raios.

Recebi uma ação da RBS muito bonitinha, para 2015.

da blackfriday ano III

As últimas semanas eu iria colocar tudo num post só, achei misturança demais, portanto, vamos por partes.

Como em 2012 e 2013, aguardo a BlackFriday como espero a comida ficar pronta no almoço.
É na BlackFriday online onde compro anualmente os presentes de natal para os meus amados (ou como pode acontecer, o presente de natal que alguém queira me dar, como foi o pedido da minha irmã) e também fico de olho no que eu tinha gostado online para ver o tamanho do desconto. Este ano:

Para o dia a dia: Saia da Alór (na Farfetch), que já usei (vide post anterior) uma carteira/pasta de couro da Animale (que estava com um desconto enorme, nunca havia comprado nada da loja porque né, não dá) e aqui, uma ressalva, um colar da Luiza Dias que eu comprei dois dias antes da BF, porque sou burra (já usei também) e quatro esmaltes (escuros, obviamente) na Quem Disse, Berenice? (esqueci de colocar o outro, é vinho, custaram 4 Dilmas Reeleitas cada um).

Para o calor: Short FYI (que eu estava namorando faziam meses), um biquíni da BlueMan (ambos na OQVestir) e um brinco enorme de lindo da Luiza Dias também.

Fiz uma compra internacional, na NastyGal, mas como vai demorar quatro meses pra chegar, deixa pra lá. O que comprei nos últimos meses foram coisas para a casa, quis me mimar um pouco (ótima justificativa, Lya).

Que o Senhor Das Parcelas nos salve e nos guie.