a pobreza em três partes

Parte um
Vi um post no Teoria Criativa, da Gabi e achei válido falar sobre por aqui também. Eu comprei na pré-venda dois guias interessantíssimos — para mim pelo menos —, o CITIx60 City Guides, da Victionary. O guia foi montado por 60 criativos locais (divido em cidades como Londres, Nova York, Berlim, Tóquio, Barcelona e Paris). Ele traz um roteiro com dicas sobre Arte, Design, Arquitetura, Alimentação, Entretenimento e Compras de cada lugar: tudo que eu amo numa viagem. Não pensei duas vezes, e ainda chegaria a tempo para a minha. O problema é que eu cancelei a ida ao velho mundo em cima da hora — doeu na alma ficar — e aqui estou com os guias. Espero um dia ainda usá-los. (O de NY foi na esperança de retornar à cidade, uma vez que já conheci o ‘básico’, haha). Eles estão disponíveis para envio imediato na Amazon por um preço muy amigo.

Parte dois
Meu bonitão foi à Londres no início do mês, para fotografar campanhas de moda. Obviamente, ele me conhece o suficiente para saber meu sonho e amor por todo aquele reino (unido). Graças a ele, acabei tendo parte da cidade documentada no telefone (era o jeito), com muita foto e vídeo. Além dessa tecnologia maravilhosa de meu deus, chamada facetime, onde pude ver a London Eye durante noite, fui de carona na bicicleta pelas proximidades de Buckingham, vi o pôr do sol no Regent’s Park, as feirinhas gastronômicas do centro da cidade. De presente, ganhei mais uma Dona Elizabeth para a minha coleção. Destaque também para o livro Tired of London, Tired of Life: One Thing A Day To Do in London, para, segundo ele, usar quando eu for.

Parte três
A Skinceuticals me enviou um questionário online. Fui umas das 100 primeiras criaturas a responder e como brinde (de consolação), me enviaram um LHA Cleansing Gel. Que-felicidade. Como eu esperava, gostei muito do produto. Infelizmente, a Skinceuticals não é lá das coisas mais acessíveis, mas é uma marca de cosmético que eu não tenho medo de comprar e me arrepender, porque eu realmente acho muito bom. Aqui, Madame Z também gosta.

Uma observação: este blog completou doze anos de existência no mês passado e o que eu fiz? nem lembrei.
Tô ótima. Mas obrigada caro leitor, muito obrigada (:

eta mixaria

Como ser humano vivente neste período do tempo, sinto-me no direito de fazer uma reclamação: o que fizeram com o inverno deste ano?
Ano passado, por aqui vimos neve até na cidade vizinha. Este ano, tenho certeza que não saí do outono. Acabaram com os planos de cobertorzinhos, mozão, filminhos, fonduezinhos. Desliguem as máquinas, esfriem os oceanos, eu quero morrer de frio.

Passado o drama:

Conseguimos acender a lareira no aniversário da minha irmã, porque a noite (e apenas a noite) estava bem fria. Impossível de não lembrar da cã, que amava ficar ali na frente.

Uma rápida passada no campo, com direito à interação com seus habitantes. Que, com toda certeza, estavam morrendo de calor naquele casaco.

E o trabalho dos correios nos últimos meses, que estão com dias contados.
No próximo post explico o por quê.
Os escolhidos foram: sonhada calça de couro, que encontrei em promoção na Letage. Depois de muito pesquisar e passar semanas e semanas sem corretivo, comprei o Radiant Creamy Concealer da Nars, no Ebay. Acreditem: meu-primeiro-tênis, haha. Da-lhe cupom desconto porque não é fácil, de couro da Osklen, comprado na Shop2gether. Brinco e colar da nova linda coleção da Luiza Dias.

E sim, sou aquelas que reclama do frio e depois reclama do calor. Reclamo de tudo (:

oi?

Hoje, o diálogo que transcorreu com o atendente, no exato momento em que eu me sento e entrego a ficha preenchida, num órgão municipal:

- Essa letra é tua?
- É sim. Por que?
- Porque é feia.
- Sim, eu sei.
- Tu pintou as unhas?
- Sim, por que?
- Tá um cheiro de esmalte, não sente?
- Não.

Caro Leandro, desculpe-me por existir.
Da próxima vez que me chamarem à sua mesa, farei um favor a você e pegarei outra senha.
Beijos com sabor de acetona.

Ao chegar em casa, uma mensagem de uma agência de modelos, pedindo o envio do meu composit.

Cara agência, a última coisa que sirvo nesta vida é para modelo. Por favor, jamais se baseie em fotos de redes sociais. Farei um favor a vocês e não enviarei meu trabalho. De qualquer maneira, agradeço, visto que quarenta minutos antes tive a situação de merda acima.

Beijos com sabor de Bündchen morena do Camelódromo Municipal.

amour

HANEKE_2012_Amour_official_poster

Como não me arrisco totalmente em escrever uma resenha sobre, roubei de quem conseguiu. Acredito que a melhor definição tenha sido a de que o filme Amour é sobre uma trajetória terrivelmente honesta. Aqui, não espere o meloso romântico comum. Amour expõe dolorosamente o fim inevitável.

Como tenho pouca ligação com cinema, vi poucos filmes fora do eixo de hollywood, mas com os que vi, sabia o que encontraria neste de língua francesa: sensibilidade extrema (e muitas vezes, cruel). Ao que li, faz parte também da característica do diretor, Haneke. Amour traz através de cenas rotineiras, silenciosas, escuras, um realismo puro. E são nestes instantes que ficas preso ao enredo.

Não há trilha sonora, não há inúmeras locações, são poucos personagens. Tudo se passa no silêncio e na solidão presente na casa do casal (estes, atores incríveis, Jean-Louis Trintignant e Emmanuelle Riva, e eles bastam).

Não vou discorrer sobre a história, porque da mesma forma que assisti ao filme sem saber exatamente sobre do que se tratava, prefiro que quem não o viu (ainda) faça o mesmo. E eu recomendo assisti-lo.
O filme está aberto no site do Telecine Play (com legenda). A dica foi dada pela Letícia. Amour foi o vencedor do Oscar em 2012, como melhor filme estrangeiro.

randomines

Esta semana, fui pela primeira vez ao Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM). Com 7 dias de programação com longas, docs, animações, debates. Eu não sou nem um pouco ligada à cinema, mas para os profissionais da área, é um prato cheio. Assistimos ao documentário Revelando Sebastião Salgado, gravado em Paris, na casa do fotógrafo. Auditório cheio, incluindo a diretora do próprio doc, Betse de Paula. Fiquei feliz que o bonitão gostou e por mim é recomendadíssimo!

Mudando de assunto, quando postei a imagem, acharam uma fofura, e eu também. Para identificar meus envelopes trabalhísticos, mandei fazer um carimbo com meu logo. A vontade é de sair carimbando parede.

E os correios trabalharam, e me trouxeram uma pulseira linda da Santafina, (que coloquei na vitrine do ShopCatalog naquela semana, viu?). Porque mais chique que prata e ouro, caro leitor, só rosé (: